13.7.13

And the Oscar goes to?

A História do Oscar:

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood foi criada no dia 11 de janeiro de 1927. A ideia foi do presidente da Metro-Goldwin Mayer, Louis B. Mayer que uniu-se a um grupo de 36 diretores e atores para criar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Na época, os dirigentes dos grandes estúdios de cinema já vinham pensando em uma forma de incentivar a produção de obras de qualidade técnica e artística e a sugestão de Louis B. Mayer, foi acolhida com entusiasmo por todos.

A primeira entrega de prêmios foi realizada em maio de 1929, no Hotel Roosevelt de Los Angeles, sob a presidência do astro Douglas Fairbanks. Inicialmente, as cerimônias eram realizadas com almoços ou jantares em hotéis ou grandes restaurantes, com os resultados previamente conhecidos, já que a decisão sobre os ganhadores era tomada de comum acordo pelos chefões dos estúdios. Até 1940 os jornais recebiam a lista de premiados antecipadamente e assumiam o compromisso de só divulgá-la no final da noite. Um ano antes o Los Angeles Times quebrou o acordo. Desde então, a Academia decidiu manter segredo até a abertura dos envelopes lacrados.


A Estatueta: 


A estatueta que é entregue há 67 anos aos melhores do cinema tem 34 centímetros de altura, é composto de 92,5% de estanho, 7,5% de cobre e folheado a ouro de 14 quilates e platina pesando 3,850 quilos. O custo de fabricação de cada um é de 150 dólares. A imagem é a de um guerreiro com uma espada sobre um rolo de filme.Durante a Segunda Guerra, sua estrutura básica passou a ser de gesso para economizar metal.

Diz a lenda que o troféu foi esboçado pelo diretor de arte da Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), Cedric Gibbons, na toalha da boate Brown Derby, de Los Angeles, e ganhou forma nas mãos do escultor George Stanley.

Três histórias cercam a escolha do nome Oscar, que batizou o prêmio quatro anos após ter sido instituído. Uma delas conta que a secretária da Academia, Margareth Herrick teria achado a imagem parecida com a de seu tio Oscar, ela se referia a Oscar Pierce, um fazendeiro do Texas. Outra atribui o apelido a Bette Davis, que, brincando, afirmou que a estatueta era "a cara" de seu ex-marido Harmon Oscar Nelson. O colunista de cinema Sidney Skolsky também reivindicou a autoria do nome.

Os vencedores assumem o compromisso de nunca vendê-los, a não ser para a própria Academia e pelo preço simbólico de 10 dólares. Mesmo assim, num leilão de 1993, o Oscar que Vivien Leigh ganhou em 1940 por ...E o Vento Levou foi arrematado por 562 mil dólares.


2 comentários:

  1. Não sabia essa história!
    Muito legal, adorei o post,
    Abraço.
    http://eu-ironico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Fiquem á vontade para comentar.
Não postem comentários ofensivos e impróprios.
Críticas construtivas e sugestões são bem aceitas.